INJEÇÃO INTRA-VÍTREA

Nas injeções intravítreas, de modo geral, a medicação é aplicada diretamente no vítreo (região interna e posterior do olho). Existem 2 tipos principais de medicamentos que podem ser injetados: os antiangiogênicos (que impedem a formação de novos vasos ou neovasos) e os corticoides (anti-inflamatórios).

Também podem ser aplicados antibióticos, bactericidas e fungicidas, de acordo com o tipo de infecção. No entanto, neste artigo focaremos nas injeções utilizadas para o tratamento da retina, principalmente os antiangiogênicos.

Tanto os corticoides quanto os antiangiogênicos são aplicados para o controle de doenças que levam ao edema ou hemorragia da mácula (região central da retina). O procedimento dura poucos minutos.

O paciente chega ao hospital ou clínica, entre 30 e 60 minutos de antecedência, para fazer a dilatação da pupila e a aplicação de colírio anestésico. Não é necessário usar a anestesia geral, apenas local (gel ou colírio). Em seguida, o médico realiza a aplicação, com procedimento rápido e indolor.

Dentro de poucos dias, a pessoa pode voltar às atividades cotidianas mais leves. Os exercícios físicos mais intensos devem ser praticados somente após uma semana contada a partir da data do procedimento. A única contraindicação para a realização da injeção intravítrea é a presença de infecção ocular, que deve ser tratada antes do procedimento.

Scroll to Top
Esta página utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência possível em nosso website.
Clique em OK se você concorda com nossos Termos de Uso e com nossa Política de Privacidade.